Quem trabalha com a indústria entende a importância de potencializar os resultados para oferecer maior diferencial em um mercado tão competitivo. Existem diversas maneiras de fazer isso, e a maioria passa pela questão da movimentação em intralogística. 

 

Neste contexto, é essencial ter em sua fábrica uma esteira transportadora, que movimenta pequenos, médios e grandes objetos de um determinado ponto ao outro. Também conhecidas por Transportadores Industriais, essas soluções podem apresentar uma estrutura simples ou complexas e são bastante utilizadas nos mais variados tipos de indústria.  

 

Mesmo tendo um papel tão importante para o resultado das empresas, ainda surgem muitas dúvidas sobre seu uso, pontos de atenção e como saber se a indústria que atua pode receber uma esteira transportadora. Pensando nisso, a COBRA Correntes montou um conteúdo completo sobre o assunto. 

 

Boa leitura!

 

O que é uma esteira transportadora

A esteira transportadora surgiu em 1919 e desde então desempenha uma função importante nos fluxos operacionais. Ela serve para reduzir o tempo e o custo nas fábricas, podendo ser automatizada ou não, dependendo da aplicação que cada indústria necessita. 

 

Estrutura das Esteiras Transportadoras 

De modo geral, as esteiras transportadoras são compostas por uma estrutura central produzida em Aço Carbono, Aço Inox, Alumínio, Polímero ou até mesmo Madeira. Elas recebem os elementos de tração e movimentação, podendo ser necessário o uso de elementos de sustentação ou ancoragem para garantir a estabilidade da estrutura central.

 

O principal elemento da estrutura de uma estreita transportadora é a tração, que pode ser composta por materiais como:

 

  • Esteiras Modulares Plásticas;
  • Correntes Transportadoras Plásticas ou Inox;
  • Esteiras Metálicas;
  • Esteiras de Lona;
  • Esteiras de PVC;
  • Esteiras em PU;
  • Roletes Livres;
  • Correias.

 

Os elementos acima são os principais e mais conhecidos elementos de tração na indústria nacional.

 

Os elementos de tração são responsáveis por movimentar e receber o produto ou objeto movimentado, possui variáveis em sua composição e formato, como polímeros de alta densidade, inox com as mais variadas ligas, acessórios como taliscas e guardas laterais, ou seja, diversas combinações conforme a necessidade de cada projeto e indústria. Outro elemento muito importante são as cabeceiras de acionamento e o retorno, também conhecidos como cabaceira motriz e movida, que são responsáveis pela tração e retorno dos elementos de tração.  

 

Tipos de esteiras transportadoras disponíveis

Com a evolução e diversificação de aplicações para as esteiras transportadoras dentro da manufatura industrial, diferentes soluções foram criadas no intuito de melhorar os resultados e a performance das esteiras, sempre pensando em elevar a eficiência fabril ao máximo.

 

Considerando essas diferentes aplicações, os tipos de esteiras transportadoras mais comuns são:

 

Esteiras Transportadoras Retas

São construídas para transportar produtos ou objetos de um ponto a outro em linha reta. Podem ser feitas com diversos elementos de tração, como Esteiras Modulares Plásticas, Correntes Plataforma Plásticas e Inox, Correias de Transmissão Metálicas ou Plásticas, Correias Planas, Roletes Livres ou tracionados, entre outros.

 

Os Transportadores Industriais retos podem ser mono vias ou até mesmo com várias vias tendo formas construtivas bastante variadas. É possível encontrar estruturas robustas, de fácil limpeza (easy clean) e também em alumínio.

 

Esteiras Transportadoras Curvas

Normalmente são utilizadas Esteiras Modulares Plásticas, Corrente de Plataforma ou Correias Planas para o sistema de tração. Sua aplicação está condicionada ao layout de cada projeto, sendo mono vias ou múltiplas. Seus padrões construtivos são muitos parecidos com as Esteiras Retas, porém o elementos de retenção da curva sobre o trecho e o retorno exigem maior atenção.

 

Esteiras Transportadoras de Aceleração

Este modelo de Esteira é muito utilizado em locais estratégicos do sistema intralogistico a fim de aumentar a velocidade das linhas de produção. É possível encontrar e instalar esteiras transportadoras de frenagem que contemplam uma diminuição da velocidade do processo produtivo. Dessa forma, organiza-se um sincronismo ou cadência de produção para o próximo processo de manufatura. Estes equipamentos costumam possuir Esteiras Modulares Plásticas ou Correias Planas para realizar a tração destas destes transportadores.

 

Esteiras Acumuladora

Conhecidos como pulmões ou buffer, as esteiras acumuladoras são utilizadas para fazer um acúmulo. Assim, pode-se contemplar diferentes níveis de produtividade e eficiência de máquinas e equipamentos existentes no processo produtivo. A indicação para este tipo de Esteira são Correntes Plásticas ou Inox e Esteiras Modulares Plásticas, ambas retas ou curvas. Em alguns modelos, observa-se a utilização de Roletes Livres, Esteiras auto lubrificadas ou Esteiras com Roletes em sua superfície, que são fundamentais para aliviar o atrito do produto com a superfície da esteira ou corrente.   

 

Esteiras Transportadoras de Elevação Inclinados

Esteiras Transportadoras Elevatórias ou de Elevação são conhecidas popularmente como Esteiras em Z, Girafas ou do tipo Cavalo Marinho. São utilizadas para movimentar produtos de um nível de altura para outro, sendo amplamente utilizadas em várias indústrias. Sua estruturação e seus elementos de tração variam bastante e combinam elementos de Esteiras Retas e Curvas com acessórios como taliscas, empurradores e borracha.

 

Esteiras Telescópicas

Muito utilizadas no processo final de intralogistica, essas esteiras colaboram para a expedição de grandes volumes de produção e facilitam a alocação de produtos para logística. Fracionadas em partes que alongam e retraem, elas são construídas com estruturas solidas e robustas em que é possível utilizar elementos de tração, como Esteiras Modulares Plásticas ou Esteiras de Lona, e são encontradas somente com trechos retos.

 

Esteiras Flexíveis Extensíveis

Destinado principalmente à movimentação de caixas com fundo liso, esse tipo de esteira é construído sobre estrutura metálica pantográfica e possui rodízios de nylon com esferas, além de funcionamento gravitacional não motorizado.

 

Esteiras Espirais

São desenhadas para otimização de layouts produtivos e para movimentar produtos verticalmente. Ela economiza espaços valiosos, sendo uma solução compacta e de alto desempenho. Essas esteiras garantem um fluxo de produto contínuo, enquanto a elevação é tão simples e confiável quanto a de um transportador reto normal.  

 

Nestes transportadores industriais, é possível identificar modelos que permitem congelamento e resfriamento de alimentos. Os elementos de tração mais encontrados nestes tipos de esteira transportadora são Correntes Plásticas Curvas, Roletes livres ou tracionados e Esteiras Modulares Plásticas Curvas.

 

Esteiras Sortes

Esteiras Transportadoras Sortes são utilizadas para unir, desviar, separar e mesclar produtos e materiais processados. Esse tipo classifica produtos com base no peso, formato e alocação. Além disso, utiliza soluções simples em seus elementos unindo automação industrial para gerar eficiência e produtividade.

 

Construídos com a combinação entre componentes plásticos e metálicos e elementos de tração, como esteiras modulares, correntes plásticas e correia de lona, os Sortes garantem um grande volume de movimentação e separação de produtos.   

 

Esteiras Cross Belt

Conhecido com um classificador, o Cross Belt entrega produtos com extrema precisão. Ele utiliza carrinhos individuais, cada um com seu próprio transportador de correia ou esteira modular plástica operadas independentemente, que são montados ao longo de um sistema transportador. 

 

Os pontos de desvio são concentrados em intervalos próximos, tornando o sistema muito eficiente e podendo gerar altíssimas velocidades. Esse modelo também é reconhecido como o mais rápido classificador ou separador disponível.  

 

Esteiras Shoe Sorter

O Shoe Sorter classifica, separa e entrega produtos mais frágeis ou que são facilmente danificados — ou seja, produtos que exigem uma movimentação suave para a área de entrega. Com saídas em ângulo, elas estão inseridas na categoria de esteiras transportadoras porque combinam componentes plásticos ou metálicos, tidos como sapatas, que são inseridas nas esteiras transportadoras. Com mecanismos de automação pneumática, elas realizam o direcionamento do produto para entregas em outras linhas de produção.   

 

Benefícios da esteira transportadora

Com as informações gerais sobre a esteira transportadora, é hora de entender quais são as vantagens que essa solução de intralogística pode trazer para os processos de manufatura. Sem dúvidas, o maior benefício é a possibilidade de automação — processo em que os mecanismos envolvidos funcionam sem interferência humana. 

 

Dentro deste cenário, as esteiras transportadoras industriais atuam no auxílio do processo intralogistico, movimentando diversos produtos de um local para outra e em grandes quantidades. Se a mesma função fosse exercida por colaboradores, além de demandar muito mais tempo e mão de obra, colocaria os funcionários em risco por causa do peso das cargas. 

 

Esse é, inclusive, um dos principais benefícios da esteira transportadora: ela melhora a ergonomia do espaço de trabalho. Esse conceito refere-se ao estudo da relação entre o homem e o trabalho que executa, e procura desenvolver uma integração entre as condições de trabalho, as capacidades e limitações físicas e psicológicas do trabalhador e a eficiência do sistema produtivo.

 

Nos últimos anos, os gestores começaram a prestar mais atenção na ergonomia. Afinal, a lombalgia (ou dor na lombar) pode atingir até 65% das pessoas todos os anos, causando o afastamento de milhares de colaboradores de seus postos de trabalho. Ao introduzir a esteira transportadora industrial no seu espaço, você protege seus funcionários e mantém o fluxo operacional funcionando sem maiores desfalques.

 

Outra vantagem que chama atenção no uso das esteiras transportadoras é a sua resistência, capaz de suportar produtos com diferentes cargas. Essa solução também resiste a impactos de forma geral, logo a peça transportada não sofre avarias durante os processos realizados na empresa.

 

Outra vantagem diz respeito à flexibilidade, e não à toa esse equipamento está presente em diversas indústrias. A esteira transportadora industrial é capaz de levar diversos materiais com estabilidade e segurança, garantindo maior produtividade. Neste mesmo sentido, os diferentes tipos de esteiras disponíveis no mercado permitem que diversos setores possam se beneficiar desta solução em movimentação em intralogística.

 

No cenário econômico atual, as indústrias que desejam se manter relevantes precisam aprender a produzir mais com menos tempo. É aí que entram as esteiras transportadoras, levando maior praticidade para dentro do ambiente industrial ao permitir o carregamento rápido, eficiente e seguro dos insumos. Assim, o fluxo operacional ocorre em menos tempo e a produtividade aumenta. 

 

Impacto das esteiras transportadoras em layouts de produção

Não temos como falar das esteiras transportadoras industriais sem mencionar seu impacto nos layouts de produção. Também denominado "arranjo físico", o layout é uma orientação sobre a disposição das máquinas dentro da indústria com o objetivo de otimizar os processos. 

 

Ter um layout de produção bem estruturado influencia positivamente em todo o fluxo operacional: cada etapa do processo acontece de forma mais rápida e eficiente, e logo a matéria-prima é transformada em produto final. Isso reduz o lead time da produção e do prazo de entrega, aumentando a satisfação do cliente. 

 

Ainda que não tenha um modelo de referência, existem quatro características que precisam estar presentes em todo layout de produção: integração com outros setores; flexibilidade para a implementação de novos produtos; economia de movimento; e fluxo linear, ou seja, com mínima distância possível entre as etapas do processo. Tudo isso, é claro, sem desobedecer às normas de segurança no trabalho previstas na NR-12

 

A implementação de um sistema transportador dentro da industria ou de um centro de distribuição ajuda a automatizar o processo produtivo e aumenta a produtividade. Além disso, permite a eliminação ou diminuição de postos de trabalho desnecessários, acelerando o processo produtivo como um todo.

 

Assim como as outras soluções intralogísticas, a escolha das esteiras transportadoras de forma correta é um dos passos para adequar as atuais linhas de produção, planejar novos layouts dentro de fábricas e otimizar os layouts de produção e movimentação interna. 

 

Por exemplo, a esteira modular plástica COBRA é fabricada com módulos e pinos plásticos com diferentes características e propriedades. Ela é projetada para ser aplicada em transportadores retos, curvos, em elevação, com aceleração ou frenagem, permitindo a utilização de acessórios para aplicações específicas. Entre seus benefícios, podemos citar baixo peso, alta performance, fácil limpeza e instalação simplificada. 

 

A esteira transportadora modular plástica possui fácil montagem e manutenção. Caso algum módulo da esteira seja danificado, ele pode ser facilmente trocado, ainda mais porque a COBRA dispõe de peças de reposição para pronta entrega. Isso garante um reparo rápido, minimizando o tempo perdido por inatividade. Além disso, possui excelente custo-benefício e alta durabilidade. Um ótimo investimento para aumentar a produtividade do seu negócio!

 

Pontos de atenção das esteiras transportadoras

É inegável o papel da esteira transportadora no dia a dia da fábrica — sem ela, a movimentação dos materiais seria quase impossível. Para garantir seu melhor uso, é preciso prestar atenção em ruídos e outros indicativos para que se tire do sistema de movimentação o melhor uso e resultado. 

 

Como identificar que o elemento de tração está sendo um problema para a produção?

A esteira transportadora industrial pode apresentar diferentes problemas, que variam de acordo com o seu estado de manutenção, o tipo de carga transportada e a duração dos períodos de funcionamento. 

 

Cabe aos gestores investirem no treinamento da equipe para que os colaboradores saibam como funcionam os componentes do sistema. Assim, todos são capazes de identificar possíveis problemas, sinalizando o mais rápido possível a necessidade de reparo ou troca.

 

Oriente seus funcionários a ficarem atentos para sinais como: 

 

  • Exposição do pino ou vareta, ocorrido pelo desgaste na dobradiça da corrente ou esteira;
  • Problemas com o engrenamento, que pode ser ocasionado pelo excesso de alongamento (o máximo permitido é de 2,5%); 
  • Desgaste na superfície da corrente ou esteira Modular, ficando áspera e dificultando o transporte dos produtos; 
  • Redução de mais de 50% na espessura das placas ou módulos, em relação a uma corrente ou esteira modular nova; 
  • Desalinhamento em relação aos perfis; 
  • Quebras frequentes;
  • Aumento de lubrificação para realização do trabalho.

 

Um erro bastante comum é ignorar os primeiros sinais de problema visando economizar dinheiro, para não parar a produção ao desligar as esteiras. No entanto, o barato pode sair caro, pois quanto mais tempo se leva para consertar as esteiras transportadoras industriais, mais tempo e dinheiro se perde. 

 

Na dúvida, chame a manutenção o mais rápido possível. Apenas um profissional qualificado pode fazer a análise e tomar as medidas mais adequadas para lidar com aquele problema.

 

Ruídos industriais

O excesso de ruído industrial pode prejudicar o bom funcionamento das esteiras e incomodar os colaboradores, atrapalhando assim a operação. Os principais motivos para isso acontecer são a falta de manutenção preventiva, o uso de componentes inadequados e a má utilização do equipamento. Vamos explicar como resolver cada um desses problemas a seguir. 

 

A recomendação mais importante é usar componentes adequados, pois ajudam a reduzir barulhos causados por atritos. A COBRA Correntes desenvolveu roletes de retorno emborrachados, injetados em poliamida com sobre injeção de borracha. Assim, reduzem consideravelmente o ruído industrial da esteira transportadora e tornam o ambiente mais agradável aos colaboradores.

 

Outra dica é a lubrificação frequente das esteiras para reduzir o atrito e o desgaste, além de minimizar custos operacionais. Dê preferência para as soluções alternativas de silicone, que transformam o local de envase em uma área seca. Nesta mesma linha de raciocínio, é preciso estabelecer uma rotina de limpeza da esteira transportadora para garantir a qualidade e produtividade na linha de produção, além de manter a higiene e a confiabilidade do produto. 

 

Implementação das esteiras transportadoras

Já temos consciência da importância das esteiras transportadoras dentro do ambiente fabril — essas máquinas são consideravelmente fáceis de serem automatizadas, possuem grande confiabilidade e se destacam por sua elevada produtividade e baixo custo operacional. 

 

Além disso, uma linha de produção industrial atual está fadada ao insucesso se não assegurarmos um funcionamento impecável dos processos de transporte de matérias-primas, produtos semiacabados e da produção terminada, em todas as fases da fabricação e do armazenamento. 

 

Portanto, devido às características mencionadas, a esteira transportadora é um equipamento fundamental dentro de uma indústria. Logo, empresas que visam se destacar em seu meio e oferecer grandes diferenciais competitivos precisam estudar as melhores formas de implementação das esteiras transportadoras

 

É neste cenário que a COBRA Correntes entra, para garantir que os clientes tenham sucesso em seus projetos. As avaliações técnicas não possuem custo ao cliente. Nossos profissionais qualificados mapeiam e apresentam as soluções através do suporte de atendimento ao cliente da COBRA Correntes. Além disso, pré-requisitos como espaço mínimo ou questões de eletricidade não são grandes preocupações, pois o usuário deste tipo de produto já costuma ter instalações industriais adequadas para receber a esteira transportadora industrial

 

Uma dúvida bastante comum é em relação à instalação. Projetos mais simples, com um a cinco equipamentos transportadores e sem necessidade de automação, podem ser realizados em até dois dias. No entanto, esquemas mais complexos, com maior número de equipamentos e com automação demandam um pouco mais de tempo, cerca de duas semanas de instalação. 

 

Mesmo assim, vale a pena esperar, pois o retorno sobre investimento (ROI) é de 6 a 15 meses, dependendo da aplicação. Este, inclusive, é um indicador de desempenho muito importante na hora de escolher a esteira transportadora da sua fábrica. Essa métrica mostra, por meio de uma taxa de retorno, quanto um investidor ganha ou perde em relação ao valor aplicado em um determinado investimento, oferecendo ao mesmo tempo uma análise sobre o que aconteceu e uma perspectiva sobre o futuro do mesmo.

 

De maneira geral, uma esteira transportadora trabalha com eficiência de até 99% da sua capacidade produtiva. Sua utilização visa aumentar a eficiência fabril, e é um equipamento que precisa da eficiência de outras soluções para ter a sua potencializada. Para que o processo de manufatura seja ágil, a principal recomendação é manter todos os equipamentos com manutenção preventiva em dia, para assim tirar a máxima performance de todos os equipamentos envolvidos.

 

A importância da manutenção da esteira transportadora

Por fim, não podemos deixar de lado a importância da manutenção. Sem isso, corre o risco de a produção parar. Afinal, as esteiras transportadoras industriais podem apresentar diferentes problemas, a variar do estado de manutenção, do tipo de carga que transporta e da duração dos períodos de funcionamento. 

 

Esses problemas são comuns, mas podem ser evitados com a manutenção periódica das esteiras transportadoras. Essa prática deve ser feita independente de elas serem esteiras modulares plásticas, esteiras inox ou correntes plásticas. É muito importante identificar se uma esteira transportadora está prejudicando o desempenho produtivo e acionar o quanto antes a assistência técnica responsável por sua manutenção, evitando assim a perda de dinheiro e de tempo. 

 

De modo geral, alguns sinais são indicativos de desgaste. Por exemplo: ruídos, quebras e alongamento das placas, trepidação, entre outros. Se seus colaboradores identificarem um ou mais desses fatores, é necessário resolver o problema o mais rápido possível para não comprometer a entrega dos pedidos ou expor seus colaboradores a riscos desnecessários. 

 

Caso seja percebido qualquer sinal de defeito, a esteira transportadora industrial deve ser desligada imediatamente. Só então deve ser realizada uma análise do que está acontecendo para tomar a atitude mais adequada, sempre com um profissional qualificado para fazer uma avaliação adequada. Infelizmente, muitas empresas fazem apenas manutenções corretivas, o que não é o mais indicado, pois apenas substituir peças nem sempre resolverá o problema.

 

Os consultores técnicos da COBRA Correntes, tem algumas dicas para evitar prejuízos maiores com a interrupção da produção de sua empresa e com o conserto ou até mesmo substituição das esteiras transportadoras do seu parque fabril:

 

  • Faça a inspeção e o acompanhamento do desgaste da esteira, engrenagem e perfis de apoio, pois pode evitar problemas maiores. Isso só é possível com a manutenção preventiva;
  • Realize o dimensionamento do equipamento antes de colocá-lo em funcionamento. Ou seja, analise o tipo de esteira e o produto a ser transportado. Na dúvida, entre em contato com a empresa para saber qual esteira transportadora é a mais indicada para sua fábrica;
  • Tenha acesso a peças de reposição originais e o contato de uma equipe profissional autorizada para realizar a manutenção preventiva. A COBRA Correntes possui peças de reposição para pronta entrega, minimizando o tempo que a esteira transportadora industrial fica parada.

 

Este conteúdo completo sobre esteira transportadora foi pensado para ajudar todos aqueles que trabalham no setor de movimentação em intralogística. Essa solução ajuda diversos segmentos a aumentarem suas produções, minimizarem custos e oferecer maior diferencial competitivo dentro do mercado em que atuam. 

 

A COBRA entende que precisa estar lado a lado de seus clientes, ajudando-os a alcançar novos resultados — e faz isso desde 1986, focando na produção e valorização da indústria nacional. Não à toa, o nome surgiu da junção das palavras Correntes Brasileiras. 

 

Durante sua evolução, a empresa sempre buscou desenvolver tecnologia própria, focando no desenvolvimento de respostas para movimentação intralogística, como correntes inox, correntes plásticas e esteiras modulares. A COBRA também possui sua própria linha completa de componentes e acessórios para facilitar a construção de esteiras modulares, e todos os clientes da empresa contam com o suporte integrado. 

 

Isso significa auxílio em cada etapa do projeto, desde a definição do escopo até o momento de pós-venda, dispondo de peças de reposição para pronta entrega. 

 

COBRA Correntes: uma empresa, muitas soluções!