Muitas empresas nacionais estão sofrendo com as consequências sociais e econômicas da pandemia da COVID-19. Em um cenário como este, os empreendedores precisam se perguntar o que eles podem fazer para ajudar o mercado nesta época tão difícil. 

 

A COBRA Correntes já deu o primeiro passo, lançando a campanha Valorize a indústria nacional. O objetivo é simples e eficaz: conscientizar sobre a necessidade de impulsionar a indústria nacional. A inspiração veio do próprio nome da empresa caxiense, que leva em seu nome “COrrentes BRAsileiras”. Divulgada nos principais veículos gaúchos e voltada para a indústria, a ação ganhou aliados em peso. 

 

O trabalho começou com a divulgação de motivos e ações para os clientes da empresa, levando informações sobre o desenvolvimento da indústria nacional e o impacto positivo gerado em optar por soluções brasileiras. O fomento ao mercado local garante a evolução da tecnologia, contribui para a geração de empregos e crescimento da economia, além de manter divisas no país valorizando o que é do Brasil.

 

A campanha separou alguns motivos que explicam a importância de comprar de uma empresa nacional. Além de promover a indústria brasileira, há a garantia de que o lucro será mantido no Brasil, se tornando investimento dentro do território nacional. Isso contribui para a melhoria do padrão de vida da população e assim valorizamos o que é nosso.

 

Alguns dos motivos para impulsionar as empresas brasileiras são:

  • Pequenas atitudes engrandecem o coletivo e nos deixam mais fortes e preparados para o futuro;
  • Fomentação das empresas brasileiras para atender aos pedidos de compra;
  • Contribuição para que o ecossistema industrial avance, permitindo que pequenos e médios empresários desenvolvam soluções locais;
  • Negociações com empresas locais cultivam relações de compra em que valor é gerado para a sua comunidade;
  • Garantir que milhões de postos de trabalho sejam mantidos, e milhares sejam criados;
  • Geração de receita e lucro das empresas locais, gerando investimento para a manufatura das empresas nacionais.

 

Uma iniciativa tão valiosa teve repercussão à altura com uma matéria na coluna de Giane Guerra, do importante veículo gauchazh.clicrbs.com.br. A jornalista ressaltou que "se há uma época para esse tipo de campanha, é agora", e afirmou que há a tendência global de proteção local em tempos de crise. 

 

A campanha também foi destaque no boletim da Associação Brasileira Técnica de Papel e Celulose (ABTCP) e na Revista P&S, focada no setor de fornecedores industriais. Isso só reforça como diversos setores estão unidos na mesma missão que a COBRA: proteger o mercado nacional e assim minimizar os impactos provocados pela COVID-19.

 

Para Heitor Pacheco, fundador da COBRA, a expectativa é fazer com que diversos setores, em especial o alimentício e de bebidas, conheçam as soluções brasileiras. "Normalmente, esses setores optam pela importação de maquinaria dos Estados Unidos e da Europa, e desconhecem que existem soluções nacionais, não só de produtos como de manutenção", ressalta Pacheco.

 

A COBRA Correntes está muito satisfeita com a repercussão na imprensa desta campanha tão importante, e convida outras empresas e setores a fazer parte dessa missão. Juntos, seremos capazes de proteger a produção nacional e passarmos por essa crise. 

 

E você, apoia nossa proposta?