COMO CONSTRUIR UMA ESTEIRA TRANSPORTADORA

 

As esteiras transportadoras industriais são fundamentais para garantir agilidade na movimentação interna de produtos e insumos, desempenhando uma função muito importante nos fluxos operacionais. Através delas é que as operações se tornam simples, pois reduzem a mão de obra humana, facilitando a rotina dos trabalhadores e dando dinamismo às tarefas.

As esteiras são elaboradas de acordo com as necessidades de cada indústria como Alimentos e Bebidas, Farmacêutico, Químicos, Agronegócio, Bens de Consumo, Papel e Celulose, Automação e Robótica, Autopeças e Indústria em Geral, sendo capazes de transportar pequenos, médios e grandes produtos, e são sempre pensadas para otimizar os espaços nos quais estão inseridas. As soluções em transporte industrial variam de esteiras mais comuns a transportadores mais robustos e complexos construídos em Alumínio, Aço Inox, Aço Carbono e, quando necessário, em Polímeros de Engenharia.

Mas nem sempre a montagem de um equipamento desses é simples, por isso nós, como fabricantes de Esteiras Modulares Plásticas, Corrente Plataforma Plástica e Inox, e Componentes para Transportadores Industriais, preparamos um resumo sobre como construir equipamentos industriais para movimentação utilizando as soluções que nossa empresa desenvolve, através de um mix de elementos plásticos e metálicos onde não consideramos a utilização de solda. 

 

Boa leitura!

 

Selecionando os componentes para a construção da esteira transportadora

 

A seleção correta dos componentes e elementos de tração a serem utilizados na construção de um equipamento transportador geralmente é a dúvida mais frequente que nosso time de atendimento ao cliente recebe quando o assunto é “como montar uma esteira transportadora”. Porém antes de iniciarmos a seleção correta dos elementos é necessário ter um pré-layout contemplando o tipo de solução que precisamos entregar, ou seja, se o transportador industrial será reto, curvo ou com elevação. Identificado o tipo de solução, podemos iniciar as respostas de como construir um transportador industrial. Identificar os gargalos na sua produção, é um começo muito importante para ajudar na escolha da esteira transportadora ideal. Confira no nosso blog algumas dicas de COMO IDENTIFICAR GARGALOS NO PROCESSO DE PRODUÇÃO E TORNÁ-LO MAIS EFICIENTE.

 

Seccionando o equipamento em 3 partes.

 

A divisão em três seções de um transportador industrial facilita o entendimento e a seleção correta dos componentes, elementos de tração e acessórios a serem contemplados na construção do equipamento. Então vamos conhecer estas 3 seções.

A supra-estrutura, termo comum na engenharia civil, pode ser aplicada para facilitar a compreensão de quais elementos devem ser utilizados na parte superior do equipamento de movimentação. Componentes como guias laterais metálicas, plásticas e guias roletadas, suportes, hastes e abraçadeiras são os componentes contemplados na parte da construção. É importante levar em consideração que algumas soluções não terão necessidade de contemplar estes elementos.

Estrutura central, é o conjunto de elementos responsáveis por garantir a estruturação do equipamento promovendo a movimentação do elemento de tração (esteira modular ou corrente plataforma) responsável por transportar o produto que está sendo movimentado e assim assegurar a entrega de um ponto ao outro. É muito comum que dentro desta seção haja um novo desdobramento, dividindo em 3 partes que são elas:

  • Cabeceira de Acionamento, também conhecida como cabeceira motriz, é responsável pela tração onde se encontra a roda ou engrenagem, que é o que possibilita a movimentação do elemento de tração. Nas cabeceiras de acionamento encontramos elementos como mancais, eixos, rodas, unhas ou convites.
  • Cabeceira de Retorno ou cabeceira movida está na outra extremidade do equipamento e é responsável por guiar o elemento de tração para o retorno do sistema de movimentação. Nestas cabeceiras encontramos os mesmos elementos das cabeceiras de acionamento, porém com a vantagem de poder usar roletes de retorno ao invés de engrenagens.
  • Corpo Central é onde se encontra a estrutura responsável por apoiar os elementos de tração ligando as cabeceiras de acionamento e retorno. Aqui é onde visualizamos as chapas laterais, perfis de deslizamento, soleiras ou perfis de apoio e separadores (responsáveis pela união das chapas laterais) e apoio de elementos como roletes de retorno, abraçadeiras de tubo e suporte serpentina.

Sustentação é onde encontramos os elementos responsáveis pela sustentação do equipamento transportador gerando estabilidade e equilíbrio, realizando ajustes finos de altura quando necessário. Na sustentação inserimos elementos como cabeçais de apoio lateral e inferior, bipés ou tripés e sapatas niveladoras.

Será possível visualizar todos esses elementos nas imagens a seguir, facilitando a leitura e compreensão.

 

A CONSTRUÇÃO DA ESTEIRA TRANSPORTADORA

 

Agora que já estamos familiarizados com alguns termos e como podemos dividir a construção de uma esteira transportadora, vamos mergulhar de fato em como construir nosso equipamento.

Mas antes disso precisamos lembrar que é muito importante, além de identificar o tipo do equipamento a ser construído, que a primícia básica é obedecer às cargas de trabalho definidas para cada modelo de esteira modular ou corrente plataforma, respeitando a sugestão de velocidade e também o comprimento máximo de cada equipamento. Estas informações estão disponíveis em nosso Manual de Engenharia. Acesse e confira!

 

Transportadores Industrias Retos Lineares Utilizando Correntes Plataforma

 

Os transportadores retos lineares, que utilizam corrente plataforma plástica ou metálica, são geralmente utilizados para movimentação de embalagens de frascos e pet soprados, latas, garrafas plásticas ou de vidro; envasados ou vazios. São utilizadas também para movimentação de caixas cartonados com ou sem plásticos e caixas plásticas, geralmente contendo produtos em seu interior.   

Na ilustração abaixo conseguimos visualizar uma vista explodida numerada com um part list e todos os elementos e descrições necessários para a construção de um transportador reto utilizando corrente plástica na largura de 82,55mm. Para outras larguras o conceito permanece muito parecido, estando disponível no catálogo de produtos COBRA as larguras disponíveis das correntes plásticas e seus respectivos materiais. Neste conceito de equipamento é possível construir equipamentos mono vias ou com várias vias.

Em nosso exemplo é possível identificar as 3 seções anteriormente expostas onde temos os itens 20, 22 e 23 utilizados para construir as guias do produto a ser transportado. Já nos itens 1 ao 15 identificamos os elementos centrais da estrutura, com destaque de como construir os separadores centrais utilizando buchas expansivas plásticas que expandem dentro do tubo quando é inserido um parafuso em sua extremidade; esta solução gera uma grande praticidade na construção do equipamento. E na sequência é possível identificar os elementos de sustentação através dos itens 16 a 20.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Transportadores Industrias Curvos Lineares Utilizando Correntes Plataforma

 

Os transportadores curvos lineares que utilizam corrente plataforma plástica ou metálica têm a capacidade de movimentar os mesmos produtos anteriormente indicados. Na ilustração a seguir podemos identificar a inclusão de um novo elemento que é conhecido como curva pista. A curva pista usinada a partir do UHMW é responsável pela retenção da corrente no momento que o elemento de tração realiza o trecho curvo que normalmente é de 15º, 30º, 45º ou 90º, com raios que variam de 150mm, 200mm, 500mm e 610mm geralmente. Esta retenção pode ser por sistema TAB (guias característicos da corrente curva TAB) ou por sistema magnético que é quando o magnetismo inserido abaixo do guia de UHMW age imantando os pinos metálicos da corrente, retendo a corrente no trecho curvo.

Outras larguras podem ser identificadas em nosso catálogo de produtos, podendo chegar a larguras de até 304,80mm. Em nossa ilustração contemplamos um equipamento mono via, porém leve considerando a possibilidade de construir equipamentos com várias vias.

 

Esteiras Transportadoras Retas Lineares utilizando Esteiras Modulares

 

As Esteiras Transportadoras Retas que utilizam como elemento de tração Esteiras Modulares são utilizados para movimentação de embalagens pet, latas, garrafas plásticas ou de vidro e na grande maioria das vezes envasados ou embalados, em movimentação nos processos de final de linha. No catálogo de produtos COBRA Correntes também é possível encontrar esteiras modulares de fácil limpeza indicadas para a movimentação de produtos frescos e in natura como carne, massas, pães, biscoitos, legumes, frutas e etc.  As principais características das Esteiras Modulares Plásticas é a versatilidade na definição e incremento de larguras, e a possibilidade de utilização de acessórios como módulos emborrachados, taliscas e guardas laterais.

Mas vamos ao que interessa que é saber as principais características e considerações a serem levadas em conta na construção de um Transportador utilizando Esteira Modular. Em nosso exemplo a seguir estamos utilizando uma esteira modular com passo (distância longitudinal entre varetas) de 25,40mm sem incremento de acessórios.

Existem alterações significativas na forma construtiva de equipamentos com maior largura e que utilizam esteiras modulares plásticas. As principais são:

  • Utilização de soleiras com tubos de maior diâmetro que acomodam abraçadeiras fixadoras, que são responsáveis por receber e fixar os perfis responsáveis por acomodar a esteira sobre a estrutura do equipamento.
  • A utilização de cabeçais de apoio laterais interligados aos bipes que garantem uma sustentação eficiente, gerando boa estabilidade.  
  •  

Esteiras Transportadoras Curvas Lineares utilizando Esteiras Modulares

 

As Esteiras Transportadoras Curvas que utilizam como elemento de tração Esteiras Modulares são indicadas principalmente para movimentação de caixas ou produtos embalados e empacotados. Com a mesma versatilidade das esteiras modulares retas, as esteiras curvas necessitam atenção redobrada quanto a definição dos trechos retos antes e depois da curva e a definição do raio mínimo, que pode ser consultado em nosso catálogo de produtos.

No exemplo apresentado a seguir, substituímos o sistema de apoio/soleira de barras por guias tipo serpentina que facilitam a execução do raio para formação da soleira e replicamos o mesmo sistema no retorno da esteira. Outra mudança está em destaque, que é a forma como a esteira é guiada ao longo do equipamento.

 

Veja também aqui no nosso blog COMO É FEITO O REPARO DAS ESTEIRAS MODULARES PLÁSTICAS. 

 

Utilizando Ferramentas 3D

 

                Para clientes que desejam obter uma acuracidade maior em seus projetos, disponibilizamos exemplos construtivos em 3D que podem ser abertos em ferramentas como Solidworks ou Autodesk Viewer Online, ferramenta online e gratuita para visualização de arquivos técnicos. Ao utilizar um arquivo 3D por nós fornecido, é possível identificar cotas de furação e informações sobre posicionamento de cada elemento. Em nosso site também é possível baixar peças individuais em 3D a serem contempladas em cada projeto.

 

Agora que você já sabe como construir uma esteira transportadora, é hora de avaliar a inclusão de um equipamento de alta performance à sua linha produtiva. A COBRA Correntes atua na América Latina há 35 anos, desenvolvendo soluções completas para movimentação intralogística e ajudando diversas empresas de diferentes setores a aumentarem a sua eficiência e produtividade. Entre em contato com nossa equipe de consultores, conheça os nossos produtos e descubra como podemos ajudar a sua indústria.

 

Veja aqui no blog nosso super artigo TUDO O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE ESTEIRAS TRANSPORTADORAS.